Desandance – 28 de maio

Desandance – 28 de maio

Atenção: Evento adiado para 28 de MAIO às 18h devido a previsão de chuva.

Bel Medula, luczan e Rai se unem em uma experiência que combina movimento, imagens e atravessamentos entre música, beat e arte sonora em meio a projeções que acontecem sobrepostas a performance ao vivo. Uma experiência sonoro- perceptiva que envolve o público por 2 horas, sem necessariamente se dividir entre músicas que tem começo, meio e fim. A performance se desenvolve trazendo sensações que se misturam em meio ao espaço, onde o vai e vem das pessoas constrói um ambiente que vai além do cotidiano. Uma experiência imersiva onde som, imagem e movimento se misturam ampliando a galeria através de toda a travessa. 

Bio

Bel_Medula (Isabel Nogueira) é compositora e produtora musical. Produz canções eletrônicas experimentais em rituais glitch-dançantes sobre escuta, corpo e cyberancestralidade. Suas canções misturam minimalismo e cotidiano, usando beats, sintetizadores, voz e videoarte. Lançou diversos álbuns de música experimental por selos do Brasil, Itália, Peru e Estados Unidos, e os álbuns de canções eletrônicas PeleOsso (2019), Luna (2020) e Semente (2021). É mentora de processos criativos em produção musical, professora na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e coordenadora do Sônicas: grupo de pesquisa sobre música e gênero. Tem trabalhos de arte sonora e videoarte apresentados em importantes festivais, como Novas Frequências (Brasil), Electric Medway (UK) e Topia (Berlim).

luczan é Luciano Zanatta é produtor, músico e sound designer. Suas obras em áudio e vídeo integram improvisação, linguagens experimentais e algorítimcas e meios eletrônicos. Os procedimentos incluem programação, sampleamento e síntese de som e imagem em performances ao vivo ou sequenciadas. Desde 2015 tem, ao lado de Bel_Medula, apresentado trabalhos em festivais e eventos nacionais e internacionais, como por exemplo Kino Beat (Rio Grande do Sul), Casamó (Paraíba), Morrodália (Rio Grande do Sul), F[r]esta (Rio de Janeiro), Frestas Telúricas (São Paulo), Digitália (Bahia), Novas Frequências (Rio de Janeiro), Topia (Berlin), Spectrum (Nova Iorque) e Electro Camp (Veneza).

Rai é Raimundo Rajobac, músico e esteta. Seus trabalhos tomam a experiência sonora como dimensão em torno da qual orbitam linguagens experimentais, efeitos, improvisações, sintetizadores, meios analógicos e eletrônicos. Na dinâmica entre materialidades sonoras, presença, compreensão e sentido, o que se põe em performance abre-se em realizações e acontecimentos potentes para a experiência da música e possíveis atravessamentos com as demais linguagens das artes. É também pesquisador e professor do curso de música na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.