Breve explanação sobre a obra

Sou retratista. E minha melhor maneira de homenagear as pessoas que amo, respeito e vejo  valor, tem sido retratá-las. No momento em que se abre um espaço de defesa dos direitos  da comunidade queer, onde a arte assume o protagonismo da narrativa, entendo que meus  retratos de pessoas importantes para a nossa cultura, carregados de suas histórias  traduzidas em suas feições, são capazes de provocar a necessária reflexão sobre os seus  direitos à livre expressão artística, sexual e de gênero, representando exatamente o que se  está querendo dizer com este edital: Viva a comunidade queer, abaixo o preconceito, salvem  os seus direitos à dignidade e à vida!

Fernando Pessoa
Caneta marcador, 21 cm x 14 cm, 2017

Currículo

Graça Craidy é artista visual, nascida em 1951,  Ijuí, RS, Brasil. Graduada e mestre em Comunicação  Social (PUCRS, 1974/ 2007), com doutorado parcial  também em Comunicação ( PUCRS, 2009), cursou  extensão em Administração para o Terceiro Setor, na  Fundação Getulio Vargas, SP (1999).

Trabalhou em  publicidade, na área de criação, em Porto Alegre e São  Paulo/ Brasil, de 1973 a 2013. Foi professora de  Processo Criativo na Faculdade de Publicidade da ESPM  ( 2005-2007).

Estudou desenho e pintura no Atelier  Livre de Porto Alegre (2011-2019) e em vários  workshops, no Brasil, (Instituto Tomie Ohtake, SP, com  Deborah Paiva), nos EUA, em Miami (Congresso  Internacional de Arte Figurativa 2018), na Italia, em  Florença (Accademia, em 2017) e Roma (Washington  University, com Nicolas Uribe, 2019). Possui obras no  acervo do Museu de Arte Contemporânea do RS/ Brasil,  da série Estupro. Já realizou mais de 20 mostras  individuais, no Centro Cultural Ceee Erico Veríssimo, no  Espaço Cultural Correios RS, no Palácio da Justiça do  RS, no Centro Cultural Erico Veríssimo, em Capão da  Canoa, (entre outras) e também na Itália, em Gualdo Tadino, Umbria, na Galeria Adelinda Allegretti, com a  série Guardami Italia, retratando seus ancestrais italianos.

Participou de mais de 40 mostras coletivas, no Brasil, nas galerias Gravura Porto Alegre (2021),  Galeria Duque (2021), Galeria da Prefeitura de POA  (2016), Centro Cultural Aberto de Artes ( 2020), IEAVI  ( 2021), MACRS ( 2019), Centro Cultural Gerd  Bornheim (Caxias 2018), Casa Vila Mimosa (Canoas  2017), e também no México, na Universidade de  Sinaloa, na Galeria Frida Kahlo (2020), na exposição Clara Pechansky y sus amigas, e ainda na Casa Hass  (2021), em Mazatlan, com a mesma exposição. Participou da exposição 700 anos da morte de Dante,  em Avelino, na Italia, no Museo Arpino, com o trabalho  Dante Apaixonado.

Ilustrou a capa de várias livros, entre eles o Lei Maria da Penha na Justiça, de Maria  Berenice Dias, o Mulheres que lutam, de Losandro  Tedeschi, e o Estado de Coisas Inconstitucional, de  Maiquel Wermuth e Andre de Castro, entre outros.  Ilustrou o Caderno Proa da ZH, em 2017, com 6  imagens da sua série Até que a morte nos separe, em  2017. Foi objeto de estudos acadêmicos em várias  disciplinas do Instituto de Artes, com sua série sobre violencia contra a muher, nas cadeiras das professoras  Blanca Brites, Nara Amélia da Silva e Bruna Fetter.

É apaixonada por retratos, pássaros e flores e  fortemente dedicada à denúncia de violência contra a  mulher. Criou, organizou e implantou a exposição Autorias, em homenagem à literatura gaúcha, alinhada  com a 67ª Feira do Livro de Porto Alegre, que  apresenta 26 autores gaúchos pintados por 18 artistas  do sul, exibida na Escadaria da Borges, em Porto  Alegre, galeria Escadaria, de 1 a 31 de outubro de  2021.

Ficha técnica

Andy Wahrol
Acrílica sobre papel, 14 cm x 21 cm, 2018

Caio F Abreu
Arte digital, 29 cm x 42 cm, 2017

David Hockney
Acrílica sobre papel, 20 cm x 30 cm, 2017

Fernando Pessoa
Caneta marcador, 21 cm x 14 cm, 2017

Gaudencio Fidelis
Acrílica e pastel oleoso, 30 cm x 40 cm, 2018

Marcel Proust
Acrílica sobre papel, 20 cm x 30 cm, 2017

Marielle
Pastel oleoso, 21 cm x 29 cm, 2021

Mario de Andrade
Acrílica sobre papel, 29 cm x 42 cm, 2013

Ney Matogrosso
Arte digital, 29 cm x 42 cm, 2021

Paulinho Chimendes
Carvão, 30 cm x 40 cm, 2018