Breve explanação sobre a obra 

O conceito de gênero se faz presente em diversas áreas de  conhecimento social, determinando diferenças humanas baseadas em  construções socioculturais, não sendo totalmente abrangente para cada  indivíduo da sociedade. Se tratando de corpos LGBTQIAP+, sabemos que  o mundo continua sendo um lugar despreparado e pobre em questões de sexualidade e gênero, onde o heterocisbinario é o centro de tudo. 

Transporto então, o olhar para um pouco antes do nosso próprio  entendimento, para o estado inicial do desenvolvimento do corpo, o embrião. Momento esse onde não temos o controle, ou noção da nossa  própria corporeidade para questionar, e se pudéssemos escolher a forma  do nosso corpo? Como seriam esses novos nascimentos e nossas novas  possibilidades de existência?  

Partindo das reflexões descritas até aqui, e de minhas experiências  individuais enquanto um corpo Queer, desenvolvo sacos embrionários e  pequenos embriões, apenas uma existência livre, uma casa cheia de  possibilidades, a fim de questionar a existência e a validade dos nossos corpos. 

Utilizo então dos sacos embrionários que crio, para fantasiar essas  novas possibilidades de corpos e de nascimentos, eles refletem  experiências pessoais, trazendo de volta memórias corporais onde me questionava e procurava me encontrar. Cada saco, feito a partir de fios plásticos trançados diversas vezes, como um casulo, um ninho, uma  proteção do externo. Linhas macias, nós presentes e pontas pontiagudas  recriam um ambiente seguro e acolhedor à espera do nosso  autoconhecimento.  

Dentro dos sacos possui um embrião, feito a partir do tecido, fibra e  parafina. Esses corpos objeto, possibilitam novas experiências de  nascimento, onde escolhemos o que nos é necessário para viver, novos  nascimentos de nós mesmos. Os objetos então ficam a disposição e  interação do público, para que possam manusear e interferir da forma que  acharem necessário. Um manifesto ao que não é nos dados, apenas  negado.

Novas idas para dentro de mim,
técnica Mista, dimensões variáveis, 2021

Currículo

Halgo, nome de nascimento Matheus de Carvalho, 22 anos, natural de Ivoti, artista visual com  formação de Bacharelado em Artes Visuais pela Universidade Feevale. Já atuou como educador social, ministrando oficinas de arte na cidade de Ivoti.  Atualmente empreende e gerencia o Estúdio Tangerina, espaço próprio dedicado à arte de tatuagem na cidade de Novo Hamburgo/RS. Tem como seu  principal meio de produção a pintura, escultura e performance. Trabalhando principalmente com tecidos e costura, coloca em evidência as experiências, vivências e sentimentos que seu corpo tem com o que o rodeia.

Ficha técnica

Título: Novas idas para dentro de mim
Técnica: mista
Medidas: dimensões variáveis
Ano: 2021