Breve explanação sobre a obra 

Inspirado na nova coleção do designer LGBTQI + Gianni Versace, para o novo desfile de 2021, fiz minha versão brasileira dos novos saltos com ferro, trazendo um ar de leveza para o modelo. De transparência A Flor que gira sob o sol, representa as emoções em si, meu lado mais profundo, significa o equilíbrio, equilíbrio de emoções, equilíbrio de devaneios. A lua representa a mutação constante das emoções, e por último A máscara, representando essa proteção, proteção a nossos corpos, tudo com uma pegada “pesada”, porém leve. Todos matérias são recicláveis e reaproveitados.

Currículo

Meu nome é Vitor Cunha, meu nome artístico é Torcunha. Sou natural de Porto Alegre/RS, 2001. Região Sul da cidade.
Tenho uma irmã gêmea que atualmente mora comigo. Sai de casa aos 18 anos. Atuo na área de serralheria com meu pai desde de minha adolescência.
Um jovem clássico no Brasil: comecei a entender o valor da “mao-de-obra” desde cedo e da desigualdade nela existente. Atuar nessa área sendo LGBTQI+ nunca foi muito confortável pra mim, que infelizmente, ainda é composta por uma rede historicamente problemática em relação a homofobia e o machismo. Qualquer um que atue na área de construção civil e esteja na mesma posição social que eu, ou deveras semelhante, vai se identificar minimamente e compreender os obstáculos sobre subestimação a nossos corpos na área.
Desde o princípio meus ideais de vida não incluíam atuar exatamente nessa área, mas sim, absorver o máximo possível de ensinamentos que ela poderia me trazer até conseguir expandir meus horizontes para novos ares.
Com o passar do tempo, ao passo que fui me aprimorando na área, e me foi dada a oportunidade de criar e me visualizar pra além de portão e grades, comecei a produzir meu próprio conteúdo artesanal para performances artísticas e utilidades em geral para a matéria-prima que eu trabalho. Vendi meu primeiro objeto artístico em 2018 e, a partir daí, comecei a atuar sempre com materiais recicláveis de sucata já que o custo, hoje, do ferro se encontra altíssimo.
Demorei para me visualizar como artista pois nunca foi algo associado a minha pessoa. Foi aí que comecei um processo de ressignificação do que eu fazia e comecei a produzir algumas coisas, aprimorar outras, até conseguir minha própria clientela. Meus próximos planos são expor, contar quem eu sou e o que eu faço.
Não me considero um baita profissional na área ainda, pois estou aprendendo e me inserindo no meu tempo. Participar dessas mostra seria um divisor de águas para mim. Acredito que na vida todos os dias estamos aprendendo. A única certeza que tenho e que dou o melhor de mim.
Minhas esculturas em ferro já foram expostas no Artes circenses Trabalhos de Performance em Teatro e Drag.

Ficha técnica